Atleta formado na ELASE, Rhuan Zanotto, destaca-se no Joinville

A ELASE atua na formação de jovens atletas e oferece uma ampla estrutura para o desenvolvimento de talentos. Nesse sentido, o jovem Rhuan Zanotto Martins, 19 anos, é mais um exemplo do trabalho desenvolvido pelo clube. 

Assim como outros jovens, Rhuan teve a sua formação realizada no futsal da ELASE e hoje atua na equipe profissional de futebol do Joinville. Aliás, ele esteve em campo na Copa Santa Catarina e em breve inicia a preparação para o Campeonato Catarinense 2022. A seguir, você confere uma entrevista com o lateral Rhuan Zanotto Martins, uma das promessas do futebol no Estado.

Entrevista com o jogador Rhuan Zanotto Martins

Como foi o seu início no esporte, desde a base até hoje?

Rhuan: Meu contato com o futsal iniciou bem cedo. Por volta dos seis anos tive os primeiros treinos na ELASE, onde fiz a maior parte da minha formação até os 12 anos. Logo após fui jogar meu último campeonato estadual pelo Avaí, que possibilitou minha transição para o futebol de campo. No Avaí permaneci até os 16 anos, lugar onde pude realizar alguns objetivos e ser muito feliz durante esse tempo. Dessa forma, aos 17 anos fui para o norte do Estado defender as cores do Joinville, clube o qual me acolheu muito bem e permaneço até os dias de hoje.

Como ocorreu a transição do futsal para o futebol de campo?

Rhuan: A minha transição para o futebol de campo ocorreu naturalmente, meu foco em relação ao treinamento até os 13 anos sempre foi o futsal. No entanto, dos 10 aos 13 em paralelo aos treinos de futsal eu disputei alguns campeonatos de campo, onde fui me adaptando à nova modalidade. Então o foco mudou aos 14 e passei a treinar cinco vezes por semana futebol de campo no Avaí e parei totalmente com o futsal.

Qual a importância da ELASE na sua vida e formação?

Rhuan: A importância da ELASE na minha formação ao todo foi gigante. Por exemplo, na formação esportiva foi a ELASE quem me moldou, foi onde aprendi os primeiros fundamentos, joguei minha primeira competição, fiz as primeiras viagens para jogar em outras cidades e adquiri gosto pelo esporte, por todo esse ambiente competitivo. A formação pessoal me ajudou demais na parte de aprender a respeitar meus colegas, na questão de companheirismo dentro e fora de quadra e na educação com os professores.

Quais momentos você considera como marcantes vestindo a camisa da ELASE?

Rhuan: Vou citar dois momentos como mais marcantes, o primeiro foi em 2011 em que eu tinha 9 anos e disputei o primeiro estadual de futsal da categoria. Foi uma sensação única na época. Além disso, outro momento que destaco foi o vice-campeonato estadual de 2013, lá eu tive a honra de ser capitão de um dos melhores grupos que fiz parte e que tinha uma comissão fantástica ao nosso lado.

Como é conciliar os estudos com uma rotina de atleta de alto rendimento?

Rhuan: No começo foi uma tarefa bem difícil por causa da idade, e também ter que me adaptar àquela nova rotina exigindo um pouco mais de responsabilidade da minha parte em cumprir com ambas atividades. Com o passar do tempo, eu consegui conciliar bem os dois lados.

Levando em conta os clubes que você passou, tanto campo e futsal, como avalia a estrutura que a ELASE disponibiliza para seus atletas?

Rhuan: Em relação à estrutura, não tenho dúvidas que a ELASE tem uma das melhores da cidade e do estado. Aliás, sempre disponibilizou excelentes materiais para os treinos e nunca ficou devendo em nada, com certeza é referência.

Alimentação, descanso e treinos, como você se organiza nessas questões: Existe apoio de alguém nessas rotinas?

Rhuan: A parte de treinamento quem fica responsável é o clube, eles passam a programação e nós a seguimos. Por exemplo, a parte de alimentação e descanso sou eu o responsável, a organização é feita semanalmente com base nos treinos. Atualmente recebo muito apoio da minha família.

Qual recado você deixaria para os meninos que jogam na ELASE?

Rhuan: O recado que eu tenho pra deixar é o seguinte: treinem e joguem sempre com muita alegria, se divirtam em quadra e aproveitem essa fase, que foi uma das melhores na minha vida. Ou seja, se você tem um sonho, independente de qual seja, corra por ele e jamais deixe de tentar realizá-lo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *